Desinformação, redes sociais e o caos

Há quase 11 anos, uma greve da Polícia Civil da Bahia, organizada pelo então sindicalista Crispiniano Daltro, acabou incentivando também uma paralisação por parte da Polícia Militar da Bahia. Mesmo à frente do comando da greve das polícias, Daltro não conseguiu controlar os PMs baianos com a mesma habilidade com a qual liderava os civis. Surgiu a figura do soldado Prisco. Prisco passou a coordenar algumas “ações de greve” e acabou virando alvo do então governador César Borges e da cúpula da Secretaria de Segurança Pública do Estado, que pediram a exoneração e prisão do soldado grevista. Exonerado, Prisco conseguiu escapar da prisão com a ajuda de um certo partido de oposição, o PT.

Hoje, sob o comando do PT, a Bahia está vivendo dias de horror. Mas de 86 assassinatos em apenas quatro dias, 192 carros roubados, saques, arrombamentos, arrastões e incêndios criminosos. Policiais encapuzados ordenando o fechamento do comércio dos bairros, rasgando à faca pneus de viaturas, invadindo a Assembleia Legislativa, travando avenidas com ônibus e atirando para o alto para gerar o pânico em algumas regiões do estado. O governador, daquele certo partido de oposição do passado, agora diz que não vai tolerar o vandalismo e os desmandos do grupo de policiais grevistas, e se recusou a aceitar em uma audiência, quem diria, o ex-soldado Prisco e seu grupo de policiais grevistas.

A atual greve da PM foi considerada ilegal pela justiça. Porém, os grevistas não voltaram ao trabalho e quase 80% da cidade parou nestes dias sem PMs nas ruas. Até um jogo do Campeonato Baiano de futebol teve grevistas em frente ao estádio impedindo o time do Bahia de entrar no estádio com o seu ônibus.

Uma quarta-feira de cinzas permanente

A confusão começou quando uma associação de policiais militares, liderados pelo ex-soldado Prisco, decretou a greve. Mesmo sem o apoio declarado dos não-associados, a PM não desmentiu em tempo hábil a greve. Talvez para forçar o diálogo com o governo. Resultado: o pânico se instalou nas redes sociais. A cada minuto boatos sobre arrastões, assaltos a pontos de ônibus, tiros, assassinatos e desmandos dos grevistas passaram a ilustrar as páginas do Twitter e Facebook, misturando-se a fatos verídicos. Porém era difícil separar a verdade dos boatos devido à falta de confirmação dos fatos por parte da imprensa. Em busca de informações, procurávamos em sites de alta confiabilidade, e não achávamos. Resultado: as mídias sociais geraram um pânico tão grande, quanto os policiais de capuz e armas em punho atirando para o alto em frente a um shopping de grande circulação da cidade.

O caos gerado pela greve parece estar começando a mudar a opinião pública. Antes a favor da PM e contra o governo Wagner, agora começam a mudar de ideia, devido aos constantes prejuízos que a greve vem trazendo à economia local. A Bahia parou, porém as imagens de um estado sem comando viajaram o mundo inteiro. Com isso, o carnaval de Salvador, principal manifestação popular e turística do mundo, tende a ser um dos mais fracos dos últimos anos. Economicamente, tem tudo para ser um fracasso e Fortaleza começa a ganhar os turistas que viriam para as ruas da minha cidade.

Nem a Força Nacional ou a Polícia do Exército irão conseguir proteger a imagem da Cidade da Folia, Capital da Alegria e Coração do Mundo. Só a imprensa, e muito marketing, pode salvar a minha Salvador nesse carnaval. E quando passar a folia dos “arrastões de bandidos” e dos cidadãos de bem saqueando lojas como ladrões, ficaremos numa quarta-feira de cinzas permanente, nessa terra, que já foi da felicidade.

***

Texto publicado no Observatório da Imprensa, TipoRevista.com.br e na Revista Página de Polícia – edição especial da greve.

Citado no blog americano:
http://tupiwire.wordpress.com/2012/02/10/brazilian-police-strikes-the-return-of-cabo-anselmo/ 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s