Os nazistas estão nas bancas, na Veja.

Joseph Goebbels. O patrono da Veja.

É interessante o texto “os nazistas estão nas ruas! Serra é agredido no Rio. O chefe da facção é o presidente da República”. Mostra exatamente a fúria dos tucanos futuros-derrotados, explícito da maneira mais ridícula que se poderia esperar de um texto jornalístico. Mas vindo da Veja, nada mais é inacreditável.

Se a campanha eleitoral ganhou ares de ódio, foi justamente pela forma vil com que os oposicionistas passaram a encará-la, desde o primeiro turno, e agora, no segundo, feito de forma mais explícita.

O Sr. Reinaldo Azevedo, de Veja, culpou literalmente o Presidente da República pelo ataque quase mortal de uma bolinha de papel sofrido pelo presidenciável José Serra. Comparou Lula a Hitler ao dizer que os petistas agem como a Sturmabteilung, a polícia nazista. Mas ridículo que a comparação é a tentativa de incutir ao PT o “jogo baixo” das eleições desse ano.

Desde o início oficial da campanha os tucanos chutaram abaixo da linha da cintura. Eram acusações na mídia (sulista e permissiva) sobre a sexualidade de Dilma, ficha falsa publicada como verdadeira pela imprensa comprada, tentativa de levar a campanha pra discussão do aborto (que só parou depois da descoberta do aborto da Sra. Mônica Serra, esposa do presidenciável), tentativa de apropriação ilícita da paternidade do Bolsa Família, mistificação da Dilma marxista e os demônios comunistas do PT, panfletos apócrifos, telemarketing do terror e agora, por causa de um rolo de adesivo (usado para quebrar a cabeça do candidato…) o Sr. Azevedo vem dizer que foi Lula quem incitou a violência? Seria cômico, não fosse trágico. Mas vindo da Veja, torna-se aceitável… Não, sinceramente, não.

O Presidente da República foi acusado de chefiar uma facção nazista. Será que isso é liberdade de imprensa? Isso é malandragem da imprensa. O sr Reinaldo Azevedo, apesar de se vangloriar de fazer parte de um dos blogs mais acessados do Brasil, na minha opinião, deve pagar e caro pelas suas leviandades em forma de texto, porque senão a avacalhação irá se tornar corriqueira.

Fascismo, companheiro, é a utilização da Polícia de São Paulo para agredir professores grevistas. Afinal, cassetete é um pouco mais pesado que “bolinha de papel”. E o seu candidato (ah, esqueci, a Veja é imparcial) autorizou essa barbárie quando governador. A Veja sim, é nazista. Talvez Goebbels (o Propagandaminister de Hilter) esteja feliz, no quinto dos infernos, ao ver tamanha canalhice transcrita semanalmente transvestida de jornalismo. É o sonho dele que está sendo realizado pelo semanário: “uma mentira cem vezes dita, torna-se verdade”.

Mas é compreensível a defesa rasgada e apaixonada desse cidadão. Também, se o Serra comprou R$34 milhões em assinaturas de revistas da editora da Veja, quando governador, o que ele e o seu partido não farão se conseguirem chegar à Presidência do Brasil? Mas, como diria o antigo Capitão Nascimento (agora Coronel): eles NUNCA SERÃO, NUNCA SERÃO…

 

Agora assistam a verdade sobre a AGRESSÃO AO CANDIDATO…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s