Povo ignorante, vassalo e vendido

Assisti o Bom Dia Brasil do dia 09 de setembro de 2010. Confesso não lembrar a última vez que fiz isso, mas talvez o motivo seja o mesmo. É muita tentativa de manipular o povo. Porém procurei ficar longe de tentar enxergar “intrigas da oposição” no programa global, pois meu pai falou que “vejo coisa onde não existe” quando se trata de política e, principalmente, críticas ao governo Lula. Então ouvi com isenção e vou apenas reproduzir um bloco que assisti.

Hardy - A Miriam Leitão dos desenhos animados

Como sempre acordo tarde, liguei a TV a tive o desprazer de ver a urubóloga Miriam Leitão. Ela me lembra muito a hiena Hardy da Hanna Barbera, que dizia: “Oh dia, Oh céu, Oh Azar… isso não vai dar certo!”. No momento que a imagem apareceu no televisor, a dona Miriam estava criticando os números da pesquisa do IBGE, sobre o saneamento básico nosso país. Ela dizia: “saneamento é um dado que não melhora nunca”. Aí fui pesquisar sobre a pesquisa Pnad 2010. No gráfico, o acesso ao saneamento passou de 46,4% em 1992, pra 59,1% em 2010. Ou seja, em números frios, seriam 12,7% de aumento. Mas a população brasileira cresceu. Em 92 éramos 145 milhões e hoje somos 200. Calculando as porcentagens teríamos 67 milhões de atendidos em 92 e hoje seríamos aproximadamente 118 milhões. Mas pra que fazer conta? O povo não iria entender mesmo… Para fechar uma frase da Miriam: “as empresas privadas conseguem levar esses bens ao consumidor, mas o poder público, não. E a telefonia é o dado mais exuberante”. De repente notei a economista sorrindo, seu rosto se transfigurando e ela começou a falar bem de algo. Era uma matéria sobre a privatização das telecomunicações do Brasil. Contava entusiasmada como o número de telefones cresceu assustadoramente no país. Mais de 300% ou coisa assim. E como barateou a telefonia no Brasil. Ou seja, privatizar foi bom. Como as privatizações ocorreram no governo FHC, foi melhor ainda. Ah, ela se esquece de dizer que antes das privatizações “teles”, o mercado de celular estava apenas começando no país. Ou seja, o crescimento seria iminente de qualquer forma. Depois a Sra. Leitão comparou o baixo crescimento do saneamento com o alto desempenho das telecomunicações. Ou seja, comparou canos com celulares. Quase a mesma coisa, implicância minha…

De Fidel à Ficha Limpa

Por qué non te callas, Miriam?

A manchete se virou para o pronunciamento do “companheiro” Fidel Castro assumindo que o modelo econômico de Cuba já não atende mais as necessidades do povo cubano. Aí o sorriso da Miriam beirou o de Angelina Jolie (não, nem tanto). Feliz como pinto no lixo arrasou a vida do Fidel com ironia. “É com um pouco de atraso que ele admite isso”, sorria como se tivesse conseguido o impeachment do Lula. Tá bom, tá bom, vou me ater aos fatos, sem opiniões.

De volta ao Brasil, o Bom Dia ressaltou a recusa do TSE em aceitar a candidatura do Joaquim Roriz. Ponto para o projeto “Ficha Limpa”. Quem foi o relator desse projeto mesmo? Ah, o Índio da Costa, candidato a vice do Serra. Só pra lembrar.

Seguindo o jornal passamos para a matéria da vez: a quebra dos sigilos do pessoal do PSDB. Agora foi o genro do Serra. Depois do “escândalo” do governo fraudando dados sigilosos para obter informações sobre o genro do Serra (um ilustre desconhecido) vem o desfecho. Serra acusando a vergonhosa manipulação do PT para ganhar as eleições. Mas como esse povo do PT é burro, cá entre nós. Vivem fazendo dossiês contra os adversários e são sempre os adversários que querem ganhar algo com isso, não é? Ah, hoje o Vox Populi/ Band/ IG deu uma derrocada da Dilma de 56% para 54%. Serra disparou de 21% para 21%. Depois do Serra, Dilma se explicando e Marina pedindo mais rigor nas investigações. Normal.

Alexandre Garcia e o povo ignorante, vassalo e vendido

O povo brasileiro, segundo Alexandre Garcia

Aí vem o Alexandre Gracinha, aquele que fazia piada com os políticos na década de 90, falar sobre o analfabetismo no País.  E os números preocupam. Em 1992 tínhamos 17,2% de analfabetos no país. Hoje eles representam 9,6%. Em números frios, diminuição de 7,6%. Em números absolutos, éramos 120 milhões de alfabetizados e passamos pra 180 milhões. Um nada. Afinal como diria Mark Twain, estatística é a arte de espremer os números até que eles confessem!

Não contente com o desastre da educação brasileira ele foi além na sua revolta. Retirei apenas algumas frases do Sr. Garcia para ilustrar o seu raciocínio: “imagina quem apenas se alfabetizou, passou apenas pelo ensino fundamental, ensino médio, mas é alienado, desinformado, não lê e não sabe pensar”. Quem será que sabe? Ele? Talvez. Depois vociferou se engasgando em suas próprias palavras: “no momento em que a maioria for beneficiada por uma revolução na educação, que não se contente em alfabetizar, mais em aguçar a curiosidade, o raciocínio, a leitura, a cidadania… Aí a vontade dessa maioria nas urnas vai ter resultado bem diferente. Essa que é a base do sonhado Brasil do futuro. É por isso que educação liberta. Por que transforma clientes, vassalos em cidadãos com luzes e vontades próprias?”. Poético e profundo, veio-me lágrimas aos olhos . Mas traduzindo: ainda não aprendemos a votar. O povo é ignorante, vassalo, vendido ou comprado, alienado, não lê e vai votar em Dilma. Tudo que não presta.

Ô povinho burro são esses brasileiros. Como podem ser tão alienados assim? Como podem deixar esse cidadão honorável e imparcial, perder a compostura desse jeito em âmbito nacional. Vocês vão matar o eminente Alexandre Garcia desse jeito… Vão ler e aproveitem para desligar os televisores. Seria muito melhor pra o Brasil e pra mente de vocês que ainda teimam em dar crédito à Rede Globo de Televisão. Desculpa pai, mas não consegui. É demais para minha inquietação alienada e ignorante, mas que não se deixa levar pelos meios de desinformação de massa. E pra provar que aceitei o seu conselho e não estou vendo política em tudo, coloco abaixo um insuspeito banner de publicidade da Globo.com. Afinal não se refere a eleição e é bonitinha a mensagem. Beijo, pai.

.

Anúncios

7 comentários

    1. Obrigado pela leitura e pelo comentário. Viva Voltaire. Posso não concordar com nenhuma das palavras que você disser, mas defenderei até a morte o direito de você dizê-las.

  1. “Mas traduzindo: ainda não aprendemos a votar. O povo é ignorante, vassalo, vendido ou comprado, alienado, não lê e vai votar em Dilma. Tudo que não presta” E você discroda disto? Eu concordo em gênero, número e grau. Não basta alfabetizar, tem que aprender a raciocinar.

  2. Carolina o povo é burro e alienado, isso é uma autocrítica? (admiro essa qualidade em alguem… Parabens!!) nem o nobre Paulo Freire ou Rubem Alves conseguiria ensinar isso “aprender a raciocinar?” foge da responsabilidade/capacidade de um pedagogo ou qualquer outro profissional alcançar tal obejtivo. Se você conhece uma forma, por favor, divida conosco e cause um furor revolucionário na area pedagogica! O que VOCÊ TEM QUE APRENDER é a engolir a vontade DEMOCRATICA da maioria, do POVO (que vc faz parte) mesmo em cima de qualquer pedestal que você julgue estar ou merecer… Respeite que a realidade do PAÍS está mudando, e um aviso se você for da classe média/alta: O povo sofreu durante muitos anos, NÃO É BURRO, e se vc discorda da escolha que FIZEMOS, se utilize de ferramentas JUSTAS E LIMPAS de convencer ideológicamente as pessoas e ai sim vc estará contribuindo efetivamente para a trasformação positiva da população. APRENDA isso.

  3. Engraçado, eu estava tendo uma discussão parecida com a minha mãe hoje cedo… Concordo plenamente com você, acho vergonhosa essa manipulação em massa feita (principalmente) pela Rede Globo. Só faltava na propaganda do globo.com eles falarem que “se José Serra for eleito o provedor é R$0,99 até a próxima eleição”.

  4. Só para ilustrar …
    Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
    Ir para: navegação, pesquisa
    National Congress of Brazil.jpg
    Este artigo é parte da série sobre
    Poder Político
    Poder Político

    Executivo | Legislativo | Judiciário
    Tipos de poder

    Aristocracia | Autocracia
    Burocracia | Demagogia
    Cleptocracia | Clerocracia
    Corporativismo | Fisiologismo
    Corporocracia | Meritocracia
    Minarquia | Oclocracia
    Oligarquia | Plutocracia
    Sociocracia | Tecnocracia
    Teocracia | Caudilhismo
    Coronelismo | Nepotismo
    Ver também
    Série Política

    Aristocracia (do grego αριστοκρατία, de άριστος (aristos), melhores; e κράτος (kratos), poder, Estado), literalmente poder dos melhores, é uma forma de governo na qual o poder político é dominado por um grupo elitista. Normalmente, as pessoas desse grupo são da classe dominante, como grandes proprietários de terra (latifundiários), militares, sacerdotes, etc. Um exemplo de estado governado pela aristocracia é a antiga cidade-estado de Esparta que, durante toda a sua história, foi governada pela aristocracia latifundiária.
    [editar] Pontos de vista

    Aristóteles chegou a afirmar que a aristocracia é o poder confiado aos melhores cidadãos, sem distinções de nascimento ou riqueza.
    —-
    Ou seja ainda há muita gente que defende esse sistema …
    pelos comentários dá pra ter uma base de comparação .
    Ignoram que estamos numa democracia.
    Não aceitam que o povão é a maioria da população , e por isso sua vontade deve ser respeitada, e que o voto da sua diarista tem o mesmo peso do que o delas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s